Recently The MMA Corner’s Aline Baktchejian Djehdian had the opportunity to speak with UFC bantamweight champion Renan Barão.

The pair discussed Barão’s upcoming title defense against T.J. Dillashaw at UFC 173 on May 24 in Las Vegas, amongst other topics.

Below are versions in both English and Portuguese.

English

How do you respond to T.J. Dillashaw’s statements about you ?

I say nothing. He can say what he wants. On the day of the fight, when you have only me and him, he will not have more to talk about. He who talks a lot has to do too much. Let’s see if he will be able to do half of what he says.

What are your thoughts on Dillashaw?

I’ve seen some of his fights. He is a tough fighter and has great victories. The strong point is his wrestling. We always try to determine and play the weak point of the fighters come fight time.

How do you feel about fighting at UFC 173, which will be an event on an important holiday for Americans?

I am very happy, because I always try to fight in big events. I’m happy to fight at this show.

You and Jose Aldo are the only Brazilians who hold belts. Is there some pressure because of that?

A little, but not so much pressure. This is our work and life. We like to do it. We train every day, and it is a dream come true. As the result of hard work, we had a chance to win our belts.

Team Alpha Male vs. Nova Uniao?

For me, there is no rivalry. [Urijah] Faber’s camp is one of the best in the world, and they have fought for the belt several times. But, on the choice of “Coach of the Year,” I, like many people, have said that [André] “Dedé” Pederneiras deserved the title of “Best Coach of the Year.” No other gym in the world has two UFC belts.

Do you believe that the awards being in the United States made ​​the difference in this choice?

Yes, for being out there. The fight world out there is more open than here. In Brazil, we are still growing, expanding the sport. Yes, it may have occurred.

Eduardo “Dudu” Dantas and Marlon Moraes are in other promotions. If they should come to the UFC, would you fight them?

There’s no possibility of me fighting Dudu Dantas. But it could happen with Marlon. But he is in another organization and I do not want to think about it now.

How do you see the bantamweight division?

I think the division has new and good opponents. With every day, new talents are evolving, making good fights and I have to always stay ahead.

Before the title, during the interim title reign and now as the bantamweight champion, what changed in your life?

Everything changed. All fighters are studying my game, because I’m the champion and they aim to capture the belt. I always have to carry a wild card. Everything has changed in my personal life. I now know more and can also help to my family.

As Sakuraba with the Gracies, does winning against Dillashaw make you the Sakuraba to Team Alpha Male?

Eh, I do not know. Hopefully, hopefully [laughs].

You commented in an interview that you want to keep your belt for a long time. What does a UFC champion have to do to remain unbeaten?

Think of everything I went through to get here. When I fight, many people say that the fight was easy, but they do not know that the struggle comes from 10 years ago and I’ve been struggling for a better future. It strengthens me and makes me keep my feet on the ground, moving forward.

What was it like having Junior dos Santos training at Nova Uniao?

It was great. He is good, we partnered. It has been very good for us and him, too. Cigano is always playing with the most lighter guys, us against them heavyweights [laughs].

Cigano vs. Stipe Miocic—what is your prediction for this fight?

I hope he can get the knockout and give the big show, as he always does.

Talk about your training partner, Claudia Gadelha, who recently signed with the UFC.

I hope she will debut soon and bring another belt to Nova União. She is a strong contender, very tough and are unbeaten. Claudia is my friend and training partner. I hope she gets the belt.

Talk a little about interaction with your fans.

I think very good. I am very happy with it. It is the result of hard work. It doesn’t come right away, but over time. It’s unbelievable, the affection that people have for me, for my career and for what I show them—it is wonderful.

Portuguese

Como você recebeu as declarações do TJ sobre você?

Tranquilo, quem tem boca fala o que quer, lá no dia da luta quando tiver só eu e ele não vai ter mais o que falar. Quem fala demais tem que fazer demais, vamos ver se ele vai fazer pelo menos a metade de tudo que vem declarando.

Defina o seu oponente o TJ Dillashaw

Eu vi algumas lutas dele, é um lutador duro e vem de grandes vitórias, o ponto forte dele é o wrestling. Tentamos sempre jogar no ponto fraco dos lutadores e também sentir na hora da luta.

Fale como é lutar no UFC 173 que será um evento em um feriado importante para os americanos

Eu fico muito feliz, pois sempre tento lutar em grandes eventos, estou contente em lutar nesse.

Você e o Aldo são os únicos brasileiros atualmente com o cinturão no Brasil. Existe alguma pressão em função disso?

Um pouco, mas não tanta pressão. Esse é o nosso trabalho e vida, o que gostamos de fazer. Treinamos todos os dias e isso é um sonho que se tornou realidade, fruto de muito trabalho  termos tido a oportunidade de conquistar nossos cinturões.

Team Alpha Male vs Nova União

Por mim, não tem rivalidade nenhuma. A equipe do Faber é uma das melhores do mundo, estão se credenciando várias vezes para disputar o cinturão. Mas sobre a escolha de treinador do ano, não só eu como muitas pessoas falaram que o Dede Pederneiras merecia esse título de melhor treinador do ano. Nenhuma academia do mundo tem dois cinturões do UFC.

Acredita que pelo prêmio ter sido nos EUA, fez a diferença nesta escolha?

Sim, por ter sido lá fora. O mundo da luta lá fora é mais aberto do que aqui. No Brasil ainda estamos crescendo, expandindo o esporte. Pode ter ocorrido isso sim.

O Dudu Dantas e o Marlon Moraes estão em outros eventos, caso viessem para o UFC, você lutaria contra eles?

O Dudu Dantas não tem possibilidade de eu lutar contra ele. Mas se acontecesse com o Marlon se tivesse que lutar até lutaria, mas ele está em outra organização e não quero pensar nisso agora.

Como você vê sua categoria peso galo?

Vejo a categoria com novos e bons adversários. A cada dia está aparecendo novos talentos, estão evoluindo, fazendo boas lutas e eu tenho que ficar sempre ligado.

Antes do título, durante o cinturão interino e agora o campeão galo. O que mudou na sua vida?

Mudou tudo, todos os lutadores estão estudando o meu jogo, pois sou o campeão e eles tem como objetivo a conquista do cinturão. Tenho sempre que estar com uma carta na manga. Mudou tudo na minha vida pessoal, agora me conhecem mais e também pude ajudar a minha família.

Assim como Sakuraba foi para os Gracie´s, você vencendo o TJ acredita que seria o Sakuraba  do Team Apha Male?

Não sei né, tomara, tomara (risos).

Você comentou em entrevista que pretende manter seu cinturão por muito tempo. O que um campeão do UFC precisa ter para manter essa invencibilidade

Pensar em tudo o que eu passei para chegar até aqui.  Quando eu luto, muitas pessoas falam que o combate foi fácil, mas não sabem que a luta vem de 10 anos atrás e que venho batalhando para um futuro melhor. Isso me fortalece e faz eu manter os pés no chão, seguindo em frente.

Como está sendo o Cigano treinando na Nova União?

Foi ótimo ele é gente boa, parceiro. Está sendo muito bom para nós e a ele também.  O Cigano está sempre brincando com os mais levinhos, nós contra ele o peso pesado (risos).

Cigano vs Miocic, qual a sua opinião para essa luta?

Espero que ele possa nocautear e dar o grande show como ele sempre faz.

Fale sobre sua parceira de treino, Claudia Gadelha que assinou recentemente com o UFC

Espero que ela possa estrear em breve e trazer mais um cinturão para Nova União. Ela é uma forte candidata, muito dura e está invicta. A Claudia é minha amiga e parceira de treino, vou torcer para ela trazer o cinturão.

Fala um pouco sobre a interação que você tem com seus fãs 

Acho muito bom.  Fico muito feliz com isso, é fruto de muito trabalho não vem de hoje e sim de bastante tempo. É inexplicável o carinho que as pessoas tem por mim, pela minha carreira e pelo o que eu demonstro a elas, é maravilhoso.

About The Author

Aline Bak
Staff Writer, Brazil

A native of São Paulo, Brazil, Aline began watching MMA with her father during the heyday of Pride in the early 2000's. Her passion for the sport soon turned to the UFC not long after. After attending UFC 134 in Rio de Janeiro and UFC 146 in Las Vegas, Aline was asked to recount her experience for Tatame—one of Brazil's biggest media outlets—and thus began her writing career. In addition to her work for The MMA Corner, she maintains her own site about MMA.